Turismo pós-pandemia: Como será a retomada internacional?

Turismo pós-pandemia: Como será a retomada internacional?

De repente a liberdade do viajante foi usurpada por um vírus mortal. Se até mesmo as simples idas ao mercado estavam proibidas e depois restritas, quem dirá uma viagem para fora do país. As fronteiras prontamente se fecharam, e não havia o que fazer a não ser esperar. Vacinas foram desenvolvidas e a população mundial se uniu pela causa da imunização, e deste modo a luz no fim do túnel de um possível turismo-pós pandemia já era visualizável.

Que os tempos mudariam nós já tínhamos percebido nos primeiros 15 dias que viraram meses e, agora, mais de um ano, mas e as viagens pós pandemia, como vão ser? Aliás, é possível desbravar o mundo mesmo com a existência do Corona vírus?

Essas e mais pontuações sobre as tendências do turismo pós isolamento social serão destacadas neste texto.

Como ficou o setor do turismo pós-pandemia?

Não existe sequer um setor da economia que não tenha sido impactado pela pandemia. Sabemos que ela ainda não acabou e tampouco sabe-se quando será seu fim, mas e aquelas viagens que tinham data marcada e foram postergadas, como ficaram? E fechar viagens agora, tem sido possível?

A retoma das viagens nacionais e internacionais tem sido feita de forma gradual e regrada, mas o retorno completo em todos os países do mundo ainda não se sabe quando será, mas se acredita que virá.

Casal com malas de viagem chegando em um destino com praia

Os novos protocolos de segurança

Todos aprendemos a viver o novo normal, então o turismo também precisou se adaptar. Protocolos sanitários foram definidos e adotados por todos os segmentos do turismo a fim incentivar as pessoas a viajar de forma responsável, segura e consciente. Estes são alguns deles:

  • uso obrigatório de máscara;
  • higienização de mãos, objetos e superfícies com álcool 70%;
  • realização de teste de Covid-19 (PCR);
  • controle de visitantes com ocupação reduzida;
  • indicação visual ou perceptível de distanciamento social, etc;

A demanda reprimida do turismo

Você sabe como se dá a demanda reprimida? Basicamente isso acontece quando um consumidor deseja ou necessita adquirir um produto ou contratar um serviço e é impedido de fazer isso por algum motivo para além de seu domínio.

Pode parecer apenas negativo, mas se bem observada é possível fazer com que a demanda reprimida seja usada como oportunidade para o crescimento de uma empresa no segmento em que atua. É justamente dessa premissa que o turismo aproveitou de forma positiva.

Assumir que as viagens pararam integralmente na pandemia não é uma verdade absoluta no país, haja vista que aqueles que estavam impedidos de cruzar fronteiras de países ainda podiam visitar determinados lugares do seu. “Sair numa road trip para uma casa na serra, por que não?” pensavam. O importante sempre foi a consciência social.

Mas o que nos interessa neste momento não é tanto o passado, mas sim o futuro, e nesse ponto a demanda reprimida fez com que o turismo saísse ganhando: mesmo durante o isolamento social as pessoas ainda fechavam viagens para um ano a frente, e agora com o retorno gradual os preços inclusive estão mais atrativos e acessíveis.

Porém, os padrões de consumo do turismo também mudaram. Quer saber mais?

Tendências do turismo pós pandemia

Mulher de braços abertos em barco com belezas naturais ao fundo

Como dito, tudo mudou e se inovou, tendo a segurança individual e coletiva como base, o turismo tem apresentado seis tendências que se repetem para a maioria dos destinos internacionais:

  1. consumo sustentável: o turismo esportivo e voltado à natureza tem ganhado cada vez mais força, mas isso não se dá somente na escolha do destino, mas também nas formas de aproveitar os momentos em família e amigos, por exemplo;
  2. receio de aglomeração: fora escancarada todas as formas de contaminação que estávamos continuamente exposto, então por conta disso e do impacto do isolamento social as pessoas têm cada vez mais preferido um caminho mais voltado à destinos da natureza;
  3. divisão de público: o impacto foi generalizado e perdas financeiras de pessoas físicas e jurídicas foi maior para uns do que para outros, então quem já voltou a viajar foi a classe A, a menos afetada financeiramente pela pandemia. A demanda inicial é para esse público mais estruturado;
  4. novas regras sanitárias e fronteiriças dos países: além de ter de lidar com os requisitos anteriormente tidos como normais para as viagens internacionais como passaporte, seguro viagem, visto, etc, ainda tem de se dar atenção a carteira de vacinação com a imunização contra o coronavírus e a realização de testes de PCR e quarentenas de 12 a 15 dias em alguns destinos;
  5. viagens de carro: viajantes tem buscado evitar aeroportos, rodoviárias e estações de metrô, então o deslocamento realizado em veículos próprios e locados ganhou destaque. Liberdade e conforto em qualquer lugar!
  6. preocupação extrema (e correta) com a segurança sanitária: autoexplicativo, as pessoas só querem se hospedar em lugares com padrões de limpeza rigorosos;

O que é preciso para viajar internacionalmente no turismo pós-pandemia?

Por mais duro que seja dizer isso, o turista brasileiro não é muito desejado em vários países por conta da alta incidência do corona vírus no país, falta de políticas públicas eficientes e a circulação de variantes da doença.

Mas não se preocupe, à medida que a vacinação da população brasileira vem sendo realizada e as estatísticas de contaminados vem caindo bruscamente, alguns países já têm modificado as regras quanto à abertura de fronteiras ao Brasil.

Estados Unidos

A fronteira dos Estados Unidos será aberta a partir de novembro de 2021 para viajantes vacinados contra a Covid-19, segundo declaração da própria Casa Branca. Todavia, no momento de escrita deste texto, as regras gerais ainda não foram completamente definidas, mas muito provavelmente os requisitos serão em torno da imunização comprovada, realização de PCR na entrada e saída dos países, bem como é preciso atentar-se a possibilidade de quarentena obrigatória também na entrada e saída.

Europa

Na Europa, diversos países como a Alemanha, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Portugal, Reino Unido, Suíça, entre outros, abriram suas fronteiras para viajantes brasileiros com certas condições:

  • imunização completa (14 dias após a vacinação);
  • mediante realização de teste PCR (no máximo 72 horas antes do embarque) ou teste de antígeno (coletado no máximo 48 horas ou 24 horas antes do embarque );
  • alguns países requerem ainda quarentena de 10, 12 e 14 dias;

Ficar de olho nas notícias é importante nesse caso, pois cada dia mais países estão tirando o Brasil da “lista vermelha”.

Países da América Latina

Alguns países da América Latina já cumprem as expectativas dos brasileiros e abriram suas fronteiras para turismo desde que estes requisitos sejam cumpridos:

  • Teste negativo de Covid-19: PCR 72 horas antes do embarque e entre o quinto e sétimo dia de viagem, e por vezes, o antígeno;
  • Imunização completa;
  • Certificado Internacional de Vacinação (CIVIP);
  • Quarentena;
  • Seguro viagem (alguns países).

Lembre-se que estas regras não são absolutas e tampouco unitárias, então cada país da América Latina as adapta conforme suas necessidades. Faça sempre uma pesquisa no site das embaixadas de cada país ao planejar sua viagem. E não esqueça de planejar sua viagem com todo o conforto possível para você e sua família: alugue um carro com a Happy Tours!

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.