Entenda como é a Black Friday americana e saiba se preparar

Entenda como é a Black Friday americana e saiba se preparar

Como certeza você já ouviu falar sobre a Black Friday americana e suas inúmeras vantagens, mas você sabe ao certo como e quando ela surgiu, de onde advém seu nome e, mais importante, como aproveitar de verdade a maior data de promoções do mundo?

Neste post, fizemos um apanhado de informações que você precisa saber para aproveitar de verdade a Black Friday, principalmente se estiver nos Estados Unidos.

Qual é a origem da Black Friday? São várias as hipóteses!

Mulher segurando sacolas e celular na black friday

A Black Friday é uma ocasião caracterizada por uma série de promoções super interessantes em todo e qualquer setor do comércio, que hoje se espalha pelo mundo todo. Também não é nenhuma novidade que essa ocasião teve seu início nos Estados Unidos, mas as informações concretas sobre a origem dessa temática se encerram aí.

Nós fizemos uma pesquisa mais extensa e vamos pontuar o que, de fato, esse termo tão polêmico significava quando foi criado e como foi importado para o entendimento sociocultural que temos hoje. Vamos às hipóteses:

Possibilidade 1: Por uma quebra na bolsa de valores

Muito embora esse evento já tenha sido associado a ideologias racistas, o termo em seu nascimento diz respeito a uma quebra do mercado do outro na Bolsa de Valores de Nova York no ano de 1869, quando uma das maiores manobras especulativas realizada por dois especuladores chamados Jay Gould e James Fisk – sócios diretores da Ferrovia Erie – se deu quando estes tentaram tomar o mercado do ouro na Bolsa em Nova York ao entrar em negociatas ilegais sobre o Tesouro Nacional (tal como a Lava- Jato brasileira).

Por conta da devastação financeira que esse golpe causou no dia D, uma sexta datada de 24 de setembro de 1969, o preço do ouro caiu drasticamente, e por isso esse dia ficou conhecido como “sexta-feira negra”. Percebe como não se comunica com a escravidão?

Possibilidade 2: Muitos americanos apareciam “doentes” após o Thanksgiving

Outra hipótese bastante falada é a trazida pela revista norte-americana Factory Management and Maintenance, de 1950, que relatava que após a última quinta-feira de novembro (dia de Ação de Graças nos Estados Unidos), muitas pessoas se declaravam “doentes”, então foi feito um comparativo entre a back death (surto de peste bubônica do século XIV), e o termo que veio a tona foi, então, Black Friday.

Possibilidade 3: Congestionamentos pesados nos períodos de compras do natal

Outra hipótese mais realista com a primeira é que, em 2005, policiais da Filadélfia nomearam o dia após o Thanksgiving (Ação de Graças) como Black Friday por conta dos congestionamentos e tumultos das ruas a partir desta data para as compras de Natal e final de ano.

Possibilidade 4: O momento financeiro que as lojas vivem após essa época do ano

Vale destacar ainda, como uma última referência, a origem financeira do termo – mas não há crise dessa vez: o período vermelho mercadológico, ou seja, negativo dos Estados Unidos é notavelmente entre os meses de Janeiro a Novembro, ao ponto que a cor preta para eles tem a mesma conotação que “fechar no azul” para brasileiros. Assim, a Black Friday indica o início do período de balanços positivos estadunidense (as compras natalinas).

O que se pode ver, no final das contas, é que algumas das teorias passavam perto da relação do dia com a liquidez avassaladora dos preços absurdamente acessíveis desta data. Deste modo, conhecemos assim por conta da rotina adotada pelos Estados Unidos neste dia, a sexta-feira que se inciam as compras de final de ano.

Como é a Black Friday americana?

Infográfico com checklist para black friday americana

Essa estratégia de venda se consolidou no final do século XX nos Estados Unidos e tem ligação direta com o feriado de Ação de Graças, como relatamos, ocorrendo então na primeira sexta-feira depois dele. Ademais, é possível dizer também que ela abre a temporada de compras natalinas, e nos Estados Unidos é marcada por promoções verdadeiras em todos os setores mercadológicos estadunidenses.

Diferente do que muitos brasileiros reclamam da Black Friday daqui, nessa data as lojas estadunidenses realmente oferecem grandes descontos nos preços de múltiplas mercadorias. Ela é uma via de mão dupla: ao ponto que é uma das datas mais rentáveis para o comércio norte-americano, é também – por óbvio – a data em que as pessoas podem realizar seus sonhos de consumo.

A sexta-feira é o dia oficial da Black Friday estadunidense, mas o pico de promoções podem ser observados desde a quinta-feita (Thanksgiving) e durante todo o final de semana. Mas, aqui vai o primeiro aviso sobre compras nesta data tradicional: esteja preparado para longas filas e muita aglomeração. É o custo-benefício, né?

Dicas para viajantes aproveitarem as promoções

Digamos que você pretende marcar uma viagem para a Disney e a data vai bater, coincidentemente, com a da Black Friday. De quebra você conseguirá aproveitar os melhores outlets em Orlando.

Vamos mais além, então: você quer viajar mesmo para a Black Friday americana e o destino para compras escolhido é Miami. Como se programar? Você já sabe como se preparar, o que comprar e quais as melhores lojas? Temos algumas dicas para aproveitar de forma inteligente a Black Friday Americana não só nestes dois lugares.

1. Como se preparar?

Antes de enfrentar filas gigantescas e corredores completamente lotados, tenha um planejamento em mente – e por que não, no bloco de notas do celular? –, pois o tempo é curto e muitas pessoas estarão no mesmo lugar que você com o mesmo fim: gastar o dinheiro guardado.

Para ter escolhas inteligentes de consumo faça a lição de casa (como um passo a passo mesmo):

  • defina o que você, de fato, que comprar: tem que fazer uma lista de compras;
  • faça uma pesquisa de preços nas semanas anteriores da Black Friday: use a internet ao seu favor e pesquise no site das lojas as oscilações de preços para que na hora do compra você veja se vale mesmo a pena;
  • liste as lojas que você pretende visitar (não dá pra ir em todas): já sabendo o que você quer comprar fica mais fácil para verificar os horários de funcionamento das lojas que mais te interessam, bem como fazer um pesquisa de campo sobre como ela fica nessa data;
  • convide alguém para ir às compras com você: ir sozinho não é uma boa, já que acompanhado suas chances de conseguir comprar os produtos que deseja é maior se outra pessoa puder cuidar do seu carrinho, por exemplo, ou se cada uma for em um setor. Ademais, para passar pela alfândega brasileira cada pessoa só pode passar com 500 doláres;
  • seja realista: verifique se o produto que você quer costuma entrar em promoção nessa data. A Apple, por exemplo, não oferece descontos na compra de iPhones na Black Friday, entrando em promoção apenas seus produtos.
  • monte seu itinerário: já que você listou as lojas que pretende passar, também disponha a ordem de compras de acordo com as localidades. Tem casos que todas elas podem ficar no mesmo shopping, mas em outros a cidade é o limite, entende?
  • alugue um veículo: não vai rolar fazer comprar e ir embora no metrô lotado ou gastar o dinheiro poupado em taxis, não é? O trânsito vai estar lotado, principalmente nas horas de abertura e fechamento das lojas, então, invista no seu conforto.

2. Quais produtos valem a pena?

Geralmente na Black Friday dos Estados Unidos vale a pena comprar quase tudo, pois de fato as promoções são reais e os preços dos produtos ficam bem mais acessíveis.

Porém, se precisarmos direcionar seu foco, diríamos para apostar nestes itens:

  • eletrônicos: TVs, notebooks, videogames (o sonhado PlayStation ou Nintendo Switch), celulares (neste ponto a Samsung se destaca), relógios (marcas como Armani e Michael Kors oferecem promoções incríveis) e smartwatchs (os Apple Watchs entram em promoção, lembre-se!);
  • itens de cozinha;
  • artigos para casa;
  • roupas de bebê e todo o enxoval;
  • roupas femininas e masculinas, de marca ou fast fashion: Miami vai te pirar nesse sentido!
  • perfumes e produtos de skin care;
  • artigos esportivos;
  • brinquedos.

3. Quais as melhores lojas?

Existem algumas lojas que merecem destaque quando o assunto é Black Friday nos Estados Unidos, e muitas delas, inclusive, iniciam suas promoções já na quinta-feira, dia de Ações de Graças.

As lojas mais indicadas, então, para turistas na Black Friday americana são:

  • Walmart;
  • Target;
  • Best Bay;
  • Dollar General;
  • Macy’s;
  • Sears;
  • Forever 21;
  • H&M;
  • Tommy Hilfiger;
  • Armani;
  • Calvin Klein;
  • Michael Kors;
  • Hollister;
  • Nike;
  • Adidas;
  • Sephora;
  • Victoria’s Secrets;
  • Lojas Ross.

Conhece mais alguma loja que deveria entrar em nossas dicas? Deixe seu comentário neste post!

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.